sábado, 4 de agosto de 2007


Fugir do nada
encontrar o não pensado
sonhar o não sonhado
desejar o não imaginado
pedir o impossível
rumar para o infinito
ver o nunca antes visto
ouvir o nunca ouvido
cantar a canção que não há
voar sem asas pelo céu
correr pela estrada que não existe
agarrar o vento
molhar-me à chuva
gritar até perder a voz
viver até morrer
e sonhar até ao fim

3 comentários:

Sman disse...

Na vida há que desejar sempre o impossivelmente possível!

beijo,

Saturnino

João Filipe Ferreira disse...

ola,
eu e pedro lopes do site www.luso-poemas.net estamos a pensar fazer uma antologia 100 autores, 100 poemas pela ecopy. Neste projecto cada autor participa com 1 texto. O unico custo que terá é comprar 1 livro, ou seja terá o preço de 12 euros. é um livro que pode estar em qlq loja que qualquer autor arranje para além das muitas lojas onde está presente, pensei em a convidar, se quiser será um prazer:)

beijinho

Dark Hell disse...

Gostei muito do seu blog e de seus poemas, estou colocando o link dele no meu blog infernoeterno.blogspot.com
.