terça-feira, 11 de setembro de 2007

Despidos



Do tudo descoberto
o nu ficou:
os teus dedos despidos
o teu olhar liberto
a tua alma livre...
De mim só eu: única e inteira
despida dos meus medos,
a alma descoberta
o olhar transparente...


voa... voa...


Eu ficarei a ver-te partir
em busca do teu voo perfeito
em busca do teu ser completo!
Repleto de ti mesmo voltarás
e juntos voaremos
para além desta galáxia
despidos e livres eternamente...

2 comentários:

Carlos D disse...

Para se poder voar
na alegria e na amizade
onde não existe
nem longe nem distancia
só libertando
todo o nosso interior
e despindo
todo o nosso exterior

Helena de Tróia disse...

Para podermos voar em liberdade, é necessário desprendermo-nos do fútil, do que não interessa...
Obrigada pelo comentário.

HT